quarta-feira, 11 de março de 2015

NOTÍCIAS, OPINIÕES E FATOS




* DIÁLOGO 1:

Entre um morador e um vereador numa cidade da Região dos Lagos:

Morador: Vereador, quantos cargos você tem na prefeitura ?
Vereador: Nenhum.
Morador: Vereador, você tem empreiteiras trabalhando para a prefeitura em nome de laranjas ?
Vereador: Também não. Você acredita em mim ?
Morador: Claro vereador, acredito também em Papai Noel, Mula sem cabeça, Curupira e Saci Pererê !

* DIÁLOGO 2:

Entre um morador e um prefeito de uma cidade da Região dos Lagos:

Morador: Prefeito, o Sr. mora numa cobertura na Praia ?
Prefeito: Moro sim, porque ?
Morador: Mas prefeito a cobertura não está em seu nome.
Prefeito: Bom, na verdade,a cobertura é de um amigo que me empresta, entendeu ?
Morador: Pô prefeito, eu também queria ter um amigo desse !!


* Vai ter uma CPI na Câmara de Vereadores de Cabo Frio.
Calma, não é para investigar nada sério. É um CPI proposta pelo líder do governo Alair, vereador Taylor Jasmin para investigar a pasta do seu desafeto político, o Secretário de Esportes Alfredo Gonçalves. Todo mundo espera uma CPI em defesa da população para investigar os desmandos efetuados com as verbas públicas, e olha que não são poucos, mas "os caras" estão preocupados com "pinimbas pessoais".

* Informação, renovação e independência são palavras chaves para as eleições municipais legislativas de 2016 !!

* Na outra ponta, na ALERJ, o deputado estadual Jânio Mendes(PDT), anuncia uma CPI para investigar a AMPLA. É inegável que é uma boa medida, mas e as CPI"s necessárias para investigar também os inúmeros escândalos de desvios e corrupção nos governos Cabral e Pezão. Temas e motivos não faltam.

* Mas aí não pode, CPI para investigar os "chefes e miguxos" não cola. Oh farinhada !!


* O ex-prefeito e agora deputado federal pelo PMDB( sic), Marquinhos Mendes, vai fazer parte de duas Comissões na Câmara dos Deputados: Turismo e Transporte. Bom, será que ele vai aprender alguma coisa ?

* O turismo de massa implementado por ele e seu "mestre" Alair é uma tragédia para a cidade. No transporte coletivo da cidade o seu legado é a total submissão ao monopólio exercido pela Salineira, inclusive com licitação fraudulenta contestada, mas que dorme nas gavetas da justiça. Neste ponto também conta mais uma vez com a "solidariedade" do mestre Alair Correa.

* Se ele comparecer à Câmara Federal, fato que tem acontecido pouco, vai caracterizar a tal "piada pronta" !!


PESQUISAS ELEITORAIS.

* As eleições municipais serão realizadas em 2016, mas já tem pesquisas circulando em Cabo Frio para todos os gostos e todos os preços. Numa eleição majoritária para cargos executivos elas se mostram mais perto da realidade, mas para as eleições proporcionais de vereadores é extremamente difícil estabelecer critérios metodológicos, tendo em vista a complexidade e a pulverização deste voto. Como saber as articulações políticas de cada candidato ?
Algumas pesquisas tem caráter arrecadatório para a campanha, tentando convencer os possíveis doadores da viabilidade de candidaturas. Outras querem influir na cabeça do eleitor para mostrar "força política".

* Este bombardeio de pesquisas eleitorais disseminadas pela mídia e também pelas redes sociais tem um claro objetivo de direcionar votos. Influencia, principalmente, aquele eleitor que quer praticar o voto útil. Atua também naquele eleitor despolitizado que quer votar "em quem vai ganhar", achando que assim não "perde o seu voto".

* Eleição não é disputa de campeonato e nem desfile de celebridades. Aliás, tratar político como celebridade é um grande equívoco. Ele é um servidor público que conseguiu seu cargo através do voto e deve ser cobrado por suas ações. Ele não te substitui, ele te representa. Parece uma sutil diferença, mas não é. É essencial que o eleitor compreenda esta relação.

* Vote em quem possa te representar de verdade. Em quem tenha similaridades e afinidades com as suas demandas. Um trabalhador não pode votar num empresário rico. Ele tem interesses e demandas diferentes e não vai representar as suas demandas de classe. Vote de acordo com sua consciência e esqueça as pesquisas. Talvez o seu candidato escolhido não vença agora, mas certamente seu voto vai fortalecer sua luta futura.

• Entendo que pesquisas eleitorais deveriam ser proibidas de serem divulgadas em ano eleitoral porque interferem diretamente no voto do eleitor. É mais um efeito do poder econômico nas campanhas , que muitas vezes veicula pesquisas tendenciosas com este objetivo. Uma democracia de massa como a nossa, acrítica e despolitizada, fica suscetível a estas artimanhas políticas que sempre favorecem aos mesmos. O eleitor deve ficar livre para votar em quem quiser, de acordo com suas concepções e visão de mundo. As pesquisas interferem neste processo aguçando o tal "senso comum" na sociedade.


* Ao longo destes últimos 20 anos mais de 8 bilhões de reais transitaram pelos cofres públicos municipais de Cabo Frio, mas ninguém em sã consciência consegue ver obras públicas, equipamentos urbanos e políticas públicas que justifiquem esta dinheirama. Na outra ponta, os dois últimos "ínclitos" administradores "esfregam" na cara da população uma evolução patrimonial inteiramente incompatível com os rendimentos auferidos na função pública. O orçamento público sempre esteve envolto numa total obscuridade e a nossa "brava" Câmara de Vereadores nunca fez esforço nenhum para clareá-lo para a população como é de sua obrigação constitucional.
É um verdadeiro escárnio !!

* Tem pessoas que dizem que não adianta tocar neste assunto, que grande parte da população não se importa, que considera a corrupção e o roubo de dinheiro público um fator secundário na política, porém, apesar de entender estas razões e até certo ponto concordar com elas, entendo que é pedagógico continuar "batendo nesta tecla" para pelo menos tentar fazer com que uma outra parte que não pensa assim, que não concorda e mostra indignação com tudo isso, entenda a necessidade da luta por mudanças neste processo político e neste modelo de gestão pública, onde transparência, participação popular e inversão de prioridades são fundamentais.

* Nem todo postulante a cargo público participa destas maracutaias, como também não merece ser colocado na “vala comum da política”. Com um pouco de esforço, boa vontade, critério, pesquisa e audácia você pode valorizar um pouco mais o seu voto, evitar a sua anulação e participar do processo democrático, apesar do quadro desalentador que vivenciamos.
Só a luta muda a vida !!


* Era um gesto simbólico, mas o ex-presidente Lula se recusou a assinar a petição da OAB e CNBB que pede uma Reforma Política com participação da sociedade civil. Pois é Lula, quem te viu e quem te vê !!

* Enterrado até a raiz do cabelo neste enorme escândalo da Petrobras, parece que o nosso ex-presidente não quer que nada mude. E pior, ao não assinar repele a participação popular na tão desejada e necessária reforma política. Um dos pontos desta reforma pede o fim do financiamento privado de campanha. Com o PT todo "cheio de lama" desta grana corrupta, Lula sinaliza que não quer que mude o sistema que transformou o PT numa máquina eleitoral igual ao PMDB e seus partidos satélites e afins.


* Estava demorando, mas a Operação Lava Jato chegou na dupla carioca Cabral/Pezão. Em depoimento de delação premiada um executivo da empreiteira Camargo Correia declarou que Cabral recebeu cerca de 30 milhões de reais do esquema, provenientes de maracutais no Comperj. As investigações serão aprofundadas. Neste mesmo depoimento também foi citado o nome do governador do Acre, Tião Vianna(PT).

* Enquanto os trabalhadores do Comperj estão sofrendo todo tipo de opressão e negação dos seus direitos trabalhistas, inclusive salários atrasados, ambos ficam bem caladinhos, pois não podem contrariar os interesses de "seus senhores". Os parlamentares do PSOL tem comprado esta briga, inclusive levando o caso ao MPT e a Justiça do Trabalho para audiências para que os trabalhadores possam ter voz e externarem suas justas reivindicações.

* Só para lembrar aos esquecidos, a dupla Cabral/Pezão é apoiada incondicionalmente em Cabo Frio por Alair Correa, Marquinhos Mendes e o deputado estadual Jânio Mendes, que é inclusive vice-líder do governo na ALERJ. Neste episódio também todos ficaram bem caladinhos, assim como todos os seus assessores e apoiadores oficiais e oficiosos.


* Para quem vive nas redes sociais pedindo o impeachment de Dilma, veja bem quem está na linha sucessória pela ordem:

Milton Temer(PMDB), Eduardo "Malandro" Cunha(PMDB), Renan Calheiros(PMDB) e o ministro do STF, Ricardo Lewandowski.

* Tem certeza de que você quer o impeachment ?

* Agora vamos combinar, o PT também não pode reclamar de nada, pois pediu também o impeachment de FHC por motivos semelhantes. PT e o PSDB estão parecidos demais.
Alguém aí discorda ?


* Repassando do camarada Babá, que também representa a minha opinião:
Não concordamos com o deputado Daciolo. O PSOL defende o estado laico e a liberdade de religião e não religião. Lamentamos a opção constante que o deputado tem feito pelo conservadorismo em sua atuação parlamentar. Não cabe este tipo de posição no PSOL.
Leiam a nota da Executiva Estadual do PSOL-RJ, que tem meu total apoio:

O PODER EMANA DO POVO!

Em pronunciamento na tribuna da Câmara dos Deputados, o parlamentar Daciolo Benevenuto, eleito pelo PSOL-RJ, defendeu a alteração do texto constitucional para estabelecer que "todo o poder emana de Deus, que o exerce de forma direta e também por meio do povo e de seus representantes". Não é a primeira vez que o parlamentar faz intervenções com posições adversas às do PSOL. Na diplomação não teve constrangimento em tirar foto com o fascista Jair Bolsonaro, na mesma semana em que a bancada do PSOL pedia a cassação dele por sua apologia ao estupro.
O PSOL é um partido que tem programa e uma militância engajada na sua construção. Temos princípios, valores e convicções que nos colocam ao lado de todos os setores oprimidos. Defendemos a liberdade de crença e não crença. Combatemos o fundamentalismo religioso e o messianismo. Somos radicais na defesa da absoluta laicidade do Estado.
O PSOL se opõe a qualquer concepção totalitária e antidemocrática de poder, a todas as formas de opressão e discriminação e ao militarismo. Somos um partido com identidade – socialista e libertário!
Num momento em que, novamente, querem que o povo pague pela crise provocada pelo grande capital; quando os trabalhadores mais precisam de unidade para enfrentar os ajustes do governo Dilma e o cinismo da oposição de direita, o deputado se lança em mais uma cruzada de lógica fundamentalista.
Respeitamos a legitimidade do mandato do deputado Daciolo, conquistado pelo voto popular. Contudo, a atuação do parlamentar, nesse pouco tempo, tem revelado incompatibilidades com o partido.
O parlamentar, mais uma vez, demonstra não ter identidade com a sigla pela qual concorreu. Ao propor o fim do estado laico abandona os princípios republicanos, ofende a democracia e ignora a soberania popular.
Se ele não se sentir a vontade para defender o programa do PSOL, a busca de outro partido, nos parece, deve ser seu caminho natural.
Executiva Estadual do PSOL RJ.

* NÃO VAMOS NOS OMITIR EM FAZER A NOSSA CRÍTICA INTERNA.
DACIOLO DEVE DEIXAR O PSOL, POR INICIATIVA PRÓPRIA OU POR DECISÃO POLÍTICA DA DIREÇÃO NACIONAL.
NÃO TEM OUTRAS ALTERNATIVAS !!


* Aí galera, atenção a este importante comunicado do TRE:

"Eleitor que não votou nos últimos três turnos pode ter título cancelado.

Quem não votou e não justificou nas últimas três eleições terá o título cancelado se não comparecer, até 4 de maio, ao cartório eleitoral, portando documento oficial com foto. No estado do Rio, 192.858 eleitores estão nessa situação. Em www.tse.jus.br/eleitor/servicos/situacao-eleitoral, o eleitor pode verificar se o seu título está passível de cancelamento. Para a Justiça Eleitoral, cada turno de votação é considerado uma eleição.
Além de ficar impedido de votar, o eleitor que não regularizar a situação não poderá obter passaporte, ser empossado em cargo público ou renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo. A irregularidade também pode gerar dificuldades para obter empréstimos em bancos oficiais e participar de concorrência pública ou administrativa.
Os eleitores no exercício do voto facultativo - menores de 18 anos, maiores de 70 anos e os analfabetos - não serão identificados nas relações de faltosos, assim como as pessoas com deficiência que possuem certidão de quitação por tempo indeterminado. A Justiça Eleitoral ressalta que não será expedido qualquer tipo de notificação ao eleitor, seja de forma impressa (correspondência) ou eletrônica (e-mail) sobre a situação do título."


* Continuidade aqui no blog da "Sessão Desabafo" !!
Será sempre um post de desabafo sobre qualquer assunto publicado pelos internautas através das redes sociais. Nesta oportunidade, um comentário postado no face do Professor de História Rogério Carvalho:

"Impeachment para quem?

Segue o Brasil retomando a sua histórica postura conservadora. Nesse contexto, a realidade nacional sempre foi alterada para atender aos caprichos das elites e não para atender às necessidades da maioria. Surpreende o simplismo com o qual alguns compatriotas a questão do impeachment. Seria o problema a Saúde?A Educação? O acesso aos serviços públicos essenciais? Pois se for, não será nos livrando dos dignitários do Executivo que resolveremos esses problemas; não em uma democracia representativa que conta com um Legislativo viciado em se beneficiar da sua atribuição de legislar, fiscalizar e representar a população que o elegeu, apesar das não raras ligações com o empresariado mal intencionado com a coisa pública. Qual é o plano? Vamos substituir os representantes do executivo e manter imaculadas as cadeiras do Legislativo?
Esse movimento sofista nada tem a ver com o combate à corrupção, pois se assim o fosse teríamos uma alta rotatividade no executivo. A bandeira do moralismo que agora é levantada por alguns dos nossos compatriotas é um pretexto para acobertar a indignação das elites diante do fato de verem seus filhos dividindo as salas de aulas das universidades públicas com os filhos daqueles que eles consideram social e intelectualmente inferiores. A mobilização desses indignados reflete o incômodo diante do racismo de uma elite que não reflete sobre suas origens étnicas.
É muito interessante assistir brasileiros adeptos da Lei do Gerson e do menor esforço, clamarem de punhos cerrados pelo impeachment. É o mesmo brasileiro que corta pelo acostamento, que se utiliza do conhecimento político para empregar seus filhos incompetentes e que perpetua a ideia de que “se a farinha for pouca, meu pirão primeiro”. Mas é bem típico da cultura brasileira projetar para o outro as mazelas que infestam o coração.
Não é pela corrupção, nem pela ameaça comunista (inclusive só quem é muito ignorante é capaz de associar este governo à essa ideologia). Mas pode ser pela sensação de que outros estão sendo privilegiados em detrimento da tradição, da família e da propriedade. Do “Você sabe com quem esta falando?”
O que a elite e seus lacaios desavisados ignoram, é o fato de que eles não são capazes de lidar com um levante popular. Uma vez acesa a fogueira, ninguém garante que tenhamos um desfecho pacífico como o da última vez que ela teve seus interesses econômicos afetados. E por falar em passado, vale lembrar que foi a mesma elite que exigiu a cabeça de João Goulart , que anos depois, tal qual “Madalena arrependida” implorou pela vida dos seus filhos que sangravam nas mãos “moralistas” e “redentoras” da ditadura.
Este movimento não é pela moralização política, é pela exigência de restituição de privilégios que um pequeno grupo de derrotados políticos se julga merecedor. É uma manifestação lamentável da arrogância da elite brasileira que ainda está apegada ao colonialismo, ao clientelismo, ao racismo e à ideia de que lugar de preto é na senzala e de mulher é no fogão.
Impeachment? Para quem?
Rogério Carvalho(Professor de História e não vota no PT)"


* Continuidade também do espaço destinado a aqueles que acreditam no socialismo: "UMA PITADA DE MARX".
Sempre buscando uma forma resumida de explicar sua teoria, lembrando sempre aos "apressados" que devem considerar o "homem no seu tempo" !!

Karl Marx nasceu em 5 de Maio de 1818 em Trier, (Prússia renana). O pai, advogado israelita, converteu-se em 1824 ao protestantismo. A família, abastada e culta, não era revolucionária. Depois de ter terminado os seus estudos no liceu de Trier, Marx entrou na Universidade de Bona e depois na de Berlim, ali estudou direito, e sobretudo, história e filosofia. Em 1841 terminava o curso defendendo uma tese de doutoramento sobre a filosofia de Epicuro. Eram então as concepções de Marx, as de um idealista hegeliano. Em Berlim, aderiu ao círculo dos “hegelianos de esquerda”(Bruno Bauer e outros) que procuravam tirar da filosofia de Hegel conclusões ateias e revolucionárias. Marx desenvolveu numa série de trabalhos históricos a sua teoria materialista, dedicando-se sobretudo, ao estudo da economia política. Revolucionou esta ciência nas suas obras Contribuição para a Crítica da Economia Política (1859) e O Capital (1867). Em 14 de Março de 1883, Marx adormecia pacificamente na sua poltrona para o último sono.

O ESTADO EM MARX E A TEORIA AMPLIADA DO ESTADO EM GRAMSCI.
Maria Euzimar Berenice Rego Silva
Professora do Departamento de Educação/Campus Avançado de Pau dos Ferros/UERN

Nessa análise pretendemos identificar alguns aspectos relevantes para compreensão do papel do Estado numa sociedade capitalista, segundo o pensamento marxiano e gramsciano, enfatizando a importância das discussões presentes nessas obras para a atualidade na perspectiva de apontar considerações rápidas sobre seus limites e contribuições para uma teoria do Estado.
Sendo Gramsci um profundo investigador das superestruturas com ênfase no importante papel da cultura e da política para construção de um projeto social hegemônico (embora que seus escritos sejam mais de ordem prática do que de fundo ideológico).
“O objetivo de Gramsci [...] era voltado para política, não somente por paixão, mas, sobretudo, pela necessidade revolucionaria”, enquanto sujeito ativo no seu contexto, participou dos movimentos operários de Turin durante a Primeira Guerra Mundial e, consequentemente, libertários do mundo, ao entrar no Partido Socialista e Comunista Italianos.

Dado esse caráter revolucionário de autêntico observador e participante ativo da realidade sócio-econômica, política e cultura em que vivia, ele vai se basear no pensamento marxiano, embora a prisão tenha lhe privado do contato e discussão de alguns trabalhos de Marx publicados nesse período. As grandes preocupações que nortearam a investigação de Gramsci dizem respeito à três questões fundamentais: a especificidade da formação do capitalismo e do Estado Nacional italianos, decorrente da fragilidade de sua burguesia; a derrota da revolução Socialista no Ocidente, causada basicamente pela falta de percepção de que as estratégias utilizadas no Oriente deveriam diferir das do Ocidente; a formação de uma nova civilização, de um novo bloco histórico, um novo homem e mulher que não seriam seres unilaterais mais seres múltiplos.

Gramsci destaca a existência de três elementos essenciais da política ou de qualquer ação coletiva: a “existência real de governados e governantes, dirigentes e dirigidos”; o partido político, enquanto “o modo mais adequado para aperfeiçoar os dirigentes e a capacidade de direção” e o ‘espírito estatal’. Ele vai mais longe e destaca que para existirem os partidos é obrigatório a confluência de três elementos: a) “uma massa de homens comuns”, sem um potencial realmente criativo cuja participação dá-se pela disciplina e pela fidelidade; b) “um elemento de coesão”, disciplinador e centralizado nacionalmente (o principal); e c) “um elemento médio” cuja característica é de articulação dos outros dois elementos, colocando-os em contato físico, moral e intelectual. Ele conclui, dizendo que os partidos “não pode existir por força própria”. Visto que eles “são exatamente os elementos das lutas internas”, a história de um partido confunde-se com “a história de um determinado grupo social” e falar da história de um determinado partido significa “escrever a história geral de um país, de um ponto de vista monográfico, destacando um seu aspecto característico. E ainda, “do modo de escrever a história de um partido resulta o conceito que se tem daquilo que é e deva ser um partido”.

Tendo como base a análise dialética e materialista, chamada por ele de filosofia da praxis, procura afasta-se das interpretações economistas, dentro e fora da esquerda, sem no entanto, cair no idealismo. Enfatiza a necessidade do desenvolvimento de um rigor lógico, com relevo científico, nas teorias e práticas não só da historiografia mais também na ciência e arte política.
Um outro aspecto central para Gramsci é a vontade coletiva enquanto liderança do povo para sua emancipação, onde percebe-se a importância dada à questão do consenso e da força, enquanto parte do caráter educativo da política/dos partidos para sua teoria ampliada do Estado, a qual pressupõe a existência de duas esferas: a sociedade política, onde estaria o poder repressivo dos dominantes; e a sociedade civil constituída pelas associações ditas “privadas” (escola, igreja), momento da persuasão e do consenso, onde a dominação se expressa sob a forma de hegemonia. Já na sociedade política sob a forma de repressão/ditadura.

Toda relação de hegemonia seria uma relação pedagógica e educativa na medida que práticas, pensamentos e ideologias disputam o predomínio do poder. “Se a hegemonia é ético-política é também econômica”(p. ), a qual surge da “ dupla perspectiva na ação política e na vida estatal (...) da força e do consentimento; da autoridade e da hegemonia, da violência e da civilização; do momento individual e do momento universal [...] da agitação e da propaganda; da tática e da estratégia”.


* Foi por pouco, mas o Brasil foi derrotado pela Argentina no confronto de tênis pela primeira rodada do Grupo Mundial da Copa Davis, a maior competição entre países neste esporte. Os nossos hermanos marcaram 3x2 nos brasileiros, com direito a terem jogado a segunda partida mais longa da história do tênis e a mais longa da competição, disputada entre o brasileiro João Souza, o Feijão, e o argentino Leonardo Mayer. A partida durou 6 horas e 48 minutos e Mayer venceu no quinto set por 14 a 12. Na Davis o quinto set não tem tiebreak.

* Feijão derrotou Carlos Berlocq no primeiro jogo e perdeu para Leonardo Mayer no quarto jogo. Thomas Bellucci não foi bem na competição e perdeu para Mayer no segundo jogo e para Federico Delbonis no quinto e último jogo. O Brasil também pontuou nas duplas com Marcelo Melo e Bruno Soares derrotando Carlos Berlocq e Diego Schwartsman.

* Com este resultado o Brasil vai disputar a Repescagem contra um adversário a ser escolhido em sorteio, em data ainda não definida pela ITF, Federação Internacional de Tênis. Com esta vitória a Argentina ampliou sua vantagem sobre o Brasil para 10x2 em partidas disputadas na Davis.


* Mais tarde um polêmico texto sobre a blogosfera e redes sociais !!

4 comentários :

  1. Esse bate do vereador com morador e o do prefeito com o morador foi durante o chá das cinco com Alice no país das Maravilhas?

    Enquanto a presença do ex-prefeito Marquinho na Comissões na Câmara dos Deputados: Turismo e Transporte, eu acho que ele vai aprender sim. Mas quando voltar para Cabo Frio , eu acho que ele vai esquecer tudo.

    ResponderExcluir
  2. CORREÇÃO: Esse bate papo.......

    Foi o teclado do IPAD, como dizia o Hemocentríssmo Dr. Marcelo. Cidadão que sumiu dos tabloides, após causar "discórdia" com "militantes" do Estado Alairzâmico. Por onde anda?

    ResponderExcluir
  3. Esse prefeito é de Búzios ou Cabo Frio ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pesquise meu caro, pesquise que você descobre, rsrsr !!

      Excluir